Meio ambiente talvez, quem sabe, sobre só a metade?

domingo, 29 de julho de 2012

A Macambira










Projeto de Resgate Cultural Indígena


                                                      A Macambira
             


          A macambira está presente nas caatingas do Nordeste do Brasil, vai desde a   Bahia ao Piauí. A planta herbácea, da família das Bromeliáceas,  cresce debaixo das árvores ou em clareiras, possui raízes finas e superficiais, folhas que podem atingir mais de um metro de comprimento por vinte centímetros de largura, espinhos duros, e um rizoma que fornece uma forragem de ótima qualidade, as suas folhas  podem ser verde-claro, verde mais escuro, verde cinza, violácea ou amarela, dependendo, entre outros fatores, da umidade do ar e do solo. Em locais mais abertos e expostos ao sol, à face ventral das folhas pode-se apresentar violácea ou roxo-escuro, no Brasil, assim como em todas as florestas tropicais existem  dezenas de espécies, com as mais diversificadas coloração e suas flores são bastante exóticas.
        Algumas espécies como a macambira, apresentam espinhos, sem eles ficariam muito fragilizada e desprotegidas, nos longos períodos de seca, suas folhas  servem de alimento para muitos herbívoros, embora seus espinhos pontiagudos sejam superficiais, ao longo das bordas das hastes de suas largas folhas avermelhadas, onde fileiras de espinhos pontiagudos em forma de unhas viradas para ambos os lados, impeçam que grandes animais as destruam.   Mas suas formas e propriedades faz com que as suas largas folhas retenham água, matando assim a sede de varias espécies de aves e pequenos animais, que não precisam sair em busca de água a grandes distancias na caatinga, sem elas, muitas espécies de aves e animais morreriam de sede.
                                                               A lenda, O beija flor e a macambira.
              “Dizem a lenda indígena, que em um ano de grande seca, um grande gato espreitava junto às bromélias, esperando que alguma ave viesse ali beber água, vendo se aproximar uma pequena beija flor, o grande felino ávido de fome, tentou agarra-la, mas a pequena ave vou em direção a um penhasco e o gato faminto ao pular, para tentar agarrá-la, despencou, caindo  em  um precipício, então a pequena beija flor cansada,  pousou na bromélia, foi quando ver que entre as folhas, havia um pouco de água, ao matar a sede do pequeno beija flor, Deus lhe presenteou com bonitas flores púrpuras e brancas, da mesma coloração das plumagens do beija-flor, como agradecimento por salvar-lhes a vida.
               A natureza então vendo que ficaram tão bonitas e chamativas, deram-lhes espinhos em forma de garras do gato, ao longo de suas folhas, para proteger aqueles pássaros  de outros predadores e   continuar matando a sede de outros aves. Suas lindas flores brancas e púrpuras, assim como os beija-flores, muito raros, e de fundamental importância para todos os biomas”.
              Aquelas flores assim como muitas outras que tanto nos encantam, representam um equilíbrio entre a natureza e animais, sendo de grande importância cada espécie. As flores além da beleza, servem também para atrair grande número de abelhas e insetos, responsáveis diretos pela polinização e propagação das grandes e pequenas espécies vegetais e de seus frutos, sendo assim, vetores da vida, perpetuação da vegetação de todos os  biomas do planeta

                                                  Antonio Lourenço de Andrade Filho





‘.



Nenhum comentário:

Postar um comentário